Páginas

segunda-feira, 13 de março de 2017

MÉDICOS REGISTRAM ATIVIDADE CEREBRAL 10 MINUTOS APÓS A MORTE"DE PACIENTE:




Foto RexMais


Existe vida após a morte? A ciência ainda não consegue responder essa pergunta, mas os médicos de uma Unidade de Tratamento Intensivo no Canadá dizem que um paciente mostrou níveis de atividade cerebral “persistente” após a morte.

A atividade foi detectada 10 minutos após a hora da morte.

Os médicos confirmaram a morte pela ausência de pulso e falta de reação das pupilas, mas o paciente ainda parecia ter “picos de ondas delta” no cérebro, semelhante ao que ocorre durante o sono.

A equipe da Universidade de Western Ontario disse: “Nesse paciente, as ondas delta persistiram após a cessação do ritmo cardíaco e da pressão arterial”.

Os pesquisadores admitem que não há explicação biológica para a continuidade dessa atividade cerebral vários minutos após o coração ter parado de bater, segundo o Science Alert.




Os pesquisadores disseram que “é difícil, pressupor uma base fisiológica para essa atividade cerebral, dado que ela ocorreu após uma prolongada perda de circulação”.

“Essas atividades também poderiam ser fruto de erro humano, embora uma fonte arte factual não tenha sido identificada”.

Rob Waugh

quinta-feira, 2 de março de 2017

A MORTE É UMA ILUSÃO? NOVO ESTUDO SUGERE QUE SIM!


post-02-20-1Após a morte de seu velho amigo, Albert Einstein disse: “Besso partiu deste mundo estranho um pouco antes de mim. Mas isto não significa nada. Pessoas como nós… sabe que a distinção entre passado, presente e futuro é apenas uma ilusão obstinadamente persistente”.
Novas evidências continuam sugerindo que Einstein estava certo – a morte é uma ilusão.
Nosso modo de pensar clássico baseia-se na crença de que o mundo tem uma existência objetiva independente do observador. Mas uma longa lista de experimentos mostra exatamente o oposto. Pensamos que a vida é apenas a atividade do carbono e uma mistura de moléculas em que nós vivemos por algum tempo e depois apodrecemos no chão.
Acreditamos na morte porque nos ensinaram que morremos. Além disso, é claro que associamos com o nosso corpo e sabemos que os corpos morrem. Fim da história. Mas o biocentrismo, uma nova teoria de tudo, nos diz que a morte não é o evento final que pensamos. Surpreendentemente, adicionando vida e consciência à equação, você pode explicar alguns dos maiores enigmas da ciência. Por exemplo, fica claro por que o espaço e o tempo e até mesmo as propriedades da própria matéria dependem do observador. Também se torna claro porque as leis, forças e constantes do Universo parecem ser requintadamente ajustadas para a existência da vida.
Até que reconheçamos o Universo em nossas cabeças, as tentativas de entender a realidade permanecerá um caminho para lugar nenhum.
Considere o tempo “no lado de fora”: Você vê um céu azul, mas as células em seu cérebro poderiam ser mudadas para identificar o céu como verde ou vermelho. De fato, com um pouco de engenharia genética, poderíamos fazer com que tudo o que é vermelho vibre ou faça barulho, ou até mesmo que você queira fazer sexo com alguns pássaros. Você pensa que a luz está brilhando, mas seus circuitos cerebrais podem ser alterados para que pareça escuro. Você sente que está quente e úmido, mas um sapo tropical vai sentir que está frio e seco. Essa lógica se aplica a praticamente tudo. Ponto principal: O que você vê não existe sem a sua consciência.
Na verdade, você não pode ver nada através do osso que envolve o seu cérebro. Seus olhos não são portais para o mundo. Tudo o que você vê e experimenta agora, até mesmo o seu corpo, é um turbilhão de informações que ocorre em sua mente. De acordo com o biocentrismo, o espaço e o tempo não são os objetos duros e frios que pensamos ser. Acene sua mão através do ar, se você tirar tudo, o que resta ? Nada. O mesmo se aplica ao tempo. Espaço e tempo são simplesmente ferramentas para unificar tudo.
Considere o famoso experimento de dupla fenda. Quando os cientistas observam uma partícula passar através de duas fendas em uma barreira, a partícula se comporta como uma bala e passa por uma fenda ou a outra. Mas se você não observar, ela age como uma onda e passa por ambas as fendas ao mesmo tempo. Então, como uma partícula pode mudar seu comportamento dependendo de você ver ou não ? A resposta é simples, a realidade é um processo que envolve a sua consciência.
Ou considere o famoso princípio da incerteza de Heisenberg. Se existe realmente um mundo lá fora, com partículas apenas saltando ao nosso redor, então devemos ser capazes de medir todas as suas propriedades. Mas não é possível. Por exemplo, a localização exata e o momento de uma partícula não pode ser conhecido ao mesmo tempo. Então por que deveria importar à uma partícula se você decide medi-la ? E como pode duas partículas entrelaçadas estarem conectadas instantaneamente mesmo estando em lados opostos da galáxia como se o espaço e o tempo não existissem ? Novamente, a resposta é simples: porque elas não estão “lá fora”, espaço e tempo são simplesmente ferramentas da nossa mente.
A morte não existe em um mundo sem tempo e sem espaço. A imortalidade não significa uma existência perpétua no tempo, mas residir completamente fora do tempo.
Nossa maneira linear de pensar sobre o tempo também é inconsistente conforme outra série de experimentos recentes. Em 2002, os cientistas mostraram que partículas de luz “fótons” sabiam antecipadamente o que seus gêmeos distantes fariam no futuro. Eles testaram a comunicação entre os pares de fótons. Deixaram um fóton terminar sua viagem, ele tinha que decidir se queria ser uma onda ou uma partícula. Os pesquisadores aumentaram a distância que o outro fóton levou para alcançar o seu detector. No entanto, eles poderiam adicionar um misturador para impedi-lo de colapsar em uma partícula. De alguma forma, a primeira partícula sabia o que o pesquisador iria fazer antes de acontecer e cruzava distâncias instantaneamente como se não houvesse espaço ou tempo entre elas. Ela decidiu não se tornar partícula antes que o seu gêmeo encontrasse o misturador. Não importa como criamos o experimento. Nossa mente e seu conhecimento é a única coisa que determina como elas se comportam. As experiências confirmam consistentemente que o resultado depende do observador.
Bizarro ? Considere outro experimento que foi recentemente publicado na prestigiada revista científica “Science” (Vincent Jacques et al, 315, 966, 2007). Cientistas na França fotografaram fótons em um aparelho e mostraram que o que eles faziam podia mudar retroativamente algo que já tinha acontecido no passado. À medida que os fótons passavam por um garfo no aparelho, eles tinham que decidir se se comportavam como partículas ou ondas quando atingiam um divisor de feixe. Mais tarde, bem depois que os fótons passaram pela bifurcação, o experimentador poderia alternar aleatoriamente um segundo divisor de feixes para ligado ou desligado. Acontece que o observador decidiu naquele momento determinar como a partícula realmente deveria agir na bifurcação no passado. Naquele momento, o experimentador alterou o passado da partícula.
Claro, vivemos no mesmo mundo. Os críticos afirmam que este comportamento é limitado ao mundo microscópico. Mas esta visão de “dois mundos” (isto é, um conjunto de leis físicas para pequenos objetos e outra para o resto do Universo, incluindo nós) não tem base na razão e está sendo desmentida em laboratórios ao redor do mundo. Há alguns anos atrás, pesquisadores publicaram um artigo na Nature (Jost et al., 459, 683, 2009) mostrando que o comportamento quântico se estende ao mundo cotidiano. Pares de íons de vibração foram forçados a se entrelaçar, de modo que suas propriedades físicas permaneceram unidas mesmo quando estavam separados por grandes distâncias (“ação assustadora à distância”, como disse Einstein). Outras experiências com moléculas enormes chamadas “Bolas de Bucky” também mostram que a realidade quântica se estende além do mundo microscópico. Em 2005 os cristais de KHC03 exibiram cumes de entrelaçamento de meia polegada de altura, comportamento quântico cutucando o mundo comum de objetos na escala humana.
A vida é uma aventura que transcende nosso modo linear comum de pensar. Quando morremos, nós não o fazemos na matrix da bola de bilhar aleatória, mas na matrix inescapável da vida. A vida tem uma dimensionalidade não linear, é como uma flor perene que retorna a florescer no multiverso.
“As influências dos sentidos na maioria dos homens dominaram a mente na medida em que as paredes do espaço e do tempo passaram a parecer sólidas, reais e intransponíveis. E a leviandade destes limites no mundo é um sinal de loucura”. ~Ralph Waldo Emerson
©Robert Lanza (publicou extensivamente em revistas científicas líderes. Seu livro “Biocentrismo: Como a vida e a consciência são as chaves para a compreensão verdadeira da natureza do Universo” expõe o argumento científico para sua teoria de tudo.
OBS: Com o objetivo de facilitar a leitura a maioria dos links estão acionando a tradução do google, caso alguém deseja ver o texto original é só clicar no botão “original”.
Tradução e Divulgação: A Luz é Invencível ☼

quarta-feira, 1 de março de 2017

DESCRIÇÃO DE UM ACIDENTE AÉREO POR UM ESPÍRITO:








"Não pense que sofro outra espécie de angústia senão essa que me vem de sua ternura torturada e de nossa família amorosa e inesquecível.
Se me lembrarem tranquilo, estarei seguro de mim.
Se me recordarem conformado, a resignação estará comigo.
Não julguem que vim para cá fora de tempo.
Hoje sei que o meu tempo terrestre era curto".

Por coincidência, na semana da ocorrência do desastre aéreo com o time da cidade de Chapecó, tive a oportunidade de ler um texto psicografado por Chico Xavier em fevereiro de 1993 que descreve as circunstâncias de um acidente aéreo ocorrido em junho de 1992. Nessa carta, o Espírito Celso Maeda descreve seu último instante como encarnado antes do acidente que culminou na queda - por colisão com o mar - da aeronave Beech F 90-1 King Air, que carregava quatro ocupantes.

Os detalhes técnicos do acidente, eu consegui encontrar na internet. O avião havia partido do aeroporto de Itumbiara (GO) com destino a Blumenau (SC), mas sua queda se deu no mar, na altura da cidade de Navegantes (SC). A causa do acidente foi reconhecida como as péssimas condições meteorológicas, o que está descrito em detalhes na carta enviada:

“Subimos céus acima ou tentamos subir… Não era fácil raciocinar ante o perigo maior que se aproximava. Tentou-se a elevação da máquina, mas o vento prosseguia implacável qual se fosse um conjunto de forças maléficas interessadas em derrubar-nos”.

Não temos dúvidas quanto ao desespero e apreensão que toma conta de todos os envolvidos nesses momentos:
“Estávamos à mercê dos acontecimentos que o furacão nos impunha. O piloto e o companheiro que o assessorava estavam pálidos, agravando-nos as dúvidas e o desconforto de que nos sentíamos possuídos. Debalde procurávamos alguma nesga de céu azul. Achávamo-nos como que trancados por dentro de uma nuvem que parecia guardar o vento furioso que não encontrava uma saída a fim de expandir-se. Por dentro éramos a aflição de quem não se eximiu da morte compulsória e por fora de nós vimos claramente que um enorme banco de areia nos aguardava, asfixiando-nos a todos”.

E, finalmente, a descrição do grande despertar:

“A água marinha encharcada de areia nos penetrava os pulmões e quando me vi totalmente esmagado nada sabendo de meu irmão e dos companheiros que nos guardavam a viagem, quando no auge do meu desespero íntimo, vi que uma senhora caminhava naturalmente sobre as águas e, ao abraçar-me, solicitou-me concentrar na fé em Deus e me disse: Meu filho, você está conosco. Sou a sua avó Ai, que venho retira-lo da areia. Seu avô Tsunezaemon retirará seu irmão. Haverá socorro para vocês todos. O piloto e o copiloto serão resguardados”.
Em acidentes desse tipo, quando um grupo de pessoas acaba retornando mais cedo à vida real, é plenamente natural que os que ficam sintam a fragilidade não só da vida humana, mas de todas as perspectivas e planos que se faz ao se viver.

Se a vida humana (a presente) pode ser considerada frágil - e de fato é porque existem leis materiais que determinam de forma rigorosa seus limites - a condição de paternidade espiritual indica outra coisa bem diferente. Nossa vida material é frágil porque ela não é a vida verdadeira do Espírito, que não está sujeito a esses limites severos impostos pela condição de materialidade, mas depende de laços facilmente rompidos com as influências do ambiente. O instante da morte, em momento como esse se assemelha a um novo despertar, a partir do qual novos planos e diretrizes serão feitos pela alma imortal. Os que ficam, se não se prepararem, guardarão por muito tempo as impressões da saudade, mas a verdade é que eles apenas partiram alguns instantes antes de nós.

fonte: http://laboratorioespirita.blogspot.com.br/2017/01/descricao-de-um-acidente-aereo-por-um.html?spref=fb

Ademir Xavier

ANTES DE DESENCARNAR ELA PEDIU AO BOMBEIRO PARA ESCREVER UMA CARTA Á SUA MÃE E DEIXOU TODO MUNDO EM LÁGRIMAS:






O que essa jovem pediu ao bombeiro para escrever para a sua mãe após o acidente, é realmente impressionante e emocionante, e sinceramente todos deviam ler e compartilhar esta mensagem. Quem sabe o seu compartilhamento possa conscientizar as pessoas para esta realidade, de conduzir sob o efeito do álcool e consequentemente salvar vidas.


MÃE

Fiz o que me pediu. Fui à festa, mãe.
Fui a uma festa e lembrei-me do que me disseste. Pediste-me que eu não bebesse álcool, né mãe.
Então, bebi uma apenas uma “Coca-Cola”.
Senti orgulho de mim mesma e do modo como me disseste que eu me sentiria e que não deveria beber e dirigir. Ao contrário do que alguns amigos me falaram.
Fiz uma escolha saudável e o teu conselho foi correto. Quando a festa finalmente acabou, o pessoal começou a dirigir sem condições. Então, fui para o meu carro, na certeza de que iria para casa em paz, mas eu nunca poderia esperar o que iria acontecer, agora estou deitada na rua e ouvi o polícia dizer:
"O rapaz que causou este acidente estava bêbado”, mãe, a voz parecia tão distante, o meu sangue está escorrendo por todos os lados e eu estou tentando viver com todas as minhas forças, estou tentando não chorar, posso ouvir os paramédicos dizerem: “A garota vai morrer.”
Tenho certeza de que o rapaz não tinha a menor ideia do que iria acontecer enquanto ele estava a toda velocidade, afinal, ele decidiu beber e dirigir e agora tenho que morrer!
Então por que as pessoas fazem isso, mãe? Sabendo que isto vai arruinar vidas? A dor está me cortando como uma centena de facas afiadas.
Diz à minha irmã para não ficar assustada, mãe, diz ao papai que ele seja forte e quando eu for para o céu escreva: “Menina do Pai” na minha sepultura, alguém deveria ter dito àquele rapaz que é errado beber e dirigir. Talvez se os seus pais tivessem dito, eu ainda estivesse viva.
Minha respiração está ficando cada vez mais fraca mãe, e estou ficando com medo, estes são os meus momentos finais e sinto-me tão desesperada. Eu gostaria que tu pudesses abraçar-me, mãe, enquanto estou esticada no chão e morrendo, eu gostaria de poder dizer que te amo, mãe!
Então, te amo muito, minha mãe, adeus…”
Estas palavras foram escritas por um repórter que presenciou o acidente. A jovem, enquanto agonizava, ia dizendo as palavras e o repórter ia anotando, muito chocado. Pois, este repórter iniciou uma campanha. Com este pequeno gesto pode fazer uma grande diferença.

Se esta MENSAGEM chegou até você, compartilhe! E não perca a oportunidade de conscientizar mais e mais pessoas.

Via: Lição de Vida


Autor desconhecido

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

CARTA PSICOGRAFADA AJUDA MÃE A ENCONTRAR FILHO MORTO NO CEARÁ












Galdino Alves Bezerra Neto, filho da técnica em enfermagem aposentada Maria Lopes Farias, 75, de Fortaleza, estava desaparecido havia mais de cinco anos. Na época do sumiço, avisara à mãe que iria para uma vaquejada em Canindé (115 km da capital cearense), e nunca mais voltou. Tinha 47 anos na época.

Seus restos mortais, porém, foram enfim localizados em uma lagoa na região metropolitana de Fortaleza, e o exame de DNA confirmou sua identidade. Tudo graças a uma carta psicografada.

Segundo a mãe, Gaudino tinha o costume de passar longos períodos longe de casa, sem dar notícias. Após entrar no quarto mês sem contato, porém, a aposentada se desesperou. "Eu mandei imprimir mais de 200 fotos grandes dele, com endereço e telefone", diz. E assim foi por cerca de dois anos, até ela se convencer da morte do filho.

Nesse meio tempo, ela passou a frequentar um centro espírita. Na segunda visita, o médium Nilton Sousa psicografou uma carta do sogro da aposentada. Foi o avô do rapaz, narra a mãe, que deu a indicação de um local que o médium afirmava desconhecer: Lagoa do Juvenal.

Ocorre que a tal lagoa existe. Fica a 35 km de Maranguape, na região metropolitana de Fortaleza. No começo de 2013, de fato policiais já haviam localizado os restos mortais de um homem acidentalmente, depois de um incêndio em uma mata ao lado revelar parte de uma ossada humana.

Segundo o inspetor Wellington Pereira, que atua na Delegacia Metropolitana de Maranguape, na ocasião tentou-se identificar os restos mortais, mas, em virtude do estado de decomposição, o trabalho não avançou e o caso foi arquivado. A ossada foi enterrada no cemitério municipal como pessoa não identificada.

REVIRAVOLTA

No começo de 2014, após as sessões espíritas, Maria foi à delegacia questionando sobre a ossada, que poderia ser do filho dela. Na época ela não mencionou a carta psicografada à polícia. No decorrer daquele ano, ocorreu a exumação dos restos mortais e, em outubro, o resultado do exame de DNA confirmou tratar-se de Gaudino.

O caso veio a público somente no começo deste mês, quando ela comentou com a polícia sobre a carta psicografada.

O policial ficou surpreso ao saber da carta. "É um caso que realmente chama atenção". O próprio médium diz que ficou nervoso com conteúdo do documento psicografado. "Eu fiquei preocupado. Como médium, eu posso errar", diz. O resultado do exame de DNA foi o que acalmou Nilton, diz.

A Polícia Civil, agora com a identificação da ossada, reabriu o caso. Pelo estado avançado de decomposição, porém, policiais ainda não identificaram a possível causa da morte.

O inspetor Wellington Pereira, que em 2013 participou da localização da ossada e acompanha o caso, diz não ver participação nem do médium nem da aposentada na morte. A reportagem não conseguiu falar com o delegado responsável pelo caso.

Procurada, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará não se manifestou sobre a possível ajuda pela carta psicografada e afirmou não ser possível apontar suspeitos até o momento.

Em nota, a Polícia Civil do Ceará confirmou que a vítima teve parte de sua ossada encontrada em 2013 e identificada por meio de exame de DNA. "O laudo cadavérico afirma que não foi possível identificar a causa da morte, levando em consideração o tempo que havia transcorrido do óbito até a data do exame".

A nota confirma que a mãe esteve na delegacia para pedir exame de DNA na ossada encontrada na Lagoa do Juvenal. "Com a conclusão do teste e o resultado positivo, a Polícia Civil passou a ter novos elementos que contribuíram para o aprofundamento das investigações.".

'ESTOU EM PAZ'

Depois de cinco anos de aflição, a sensação de Maria é de alívio. "Aconteceu o que aconteceu, tudo bem. Mas eu sei que meu filho está bem melhor do que eu. Estou em paz".

Agora, a aposentada planeja recuperar os restos mortais de seu filho e cremá-los. "A gente vai fazer uma caravana e soltar as cinzas em Canindé. Ele não gostava de aventura? Então, eu vou deixá-lo solto".

Fonte: Folha de São Paulo

MINHA QUERIDA FILHA - EMOCIONANTE CARTA PSICOGRAFADA DE UMA MÃE PARA SUA FILHA ( CHICO XAVIER)






Minha querida filha:
Deus abençoe a vocês todos, concedendo-lhes muita saúde, alegria e paz.
Suas preces e pensamentos me buscam, na vida espiritual, como vivos apelos do coração.
Nossas lágrimas de saudade se confundem.
Morrer, minha filha, não é descansar, porque o amor, principalmente das mães, é sempre uma aflição permanente do espírito.
Ainda não pude habituar-me á ideia de que nos separamos, no mundo, apesar de sentir-me amparada, incessantemente, por minha mãe e pelo carinho de seu pai.
Quando você se encontra a sós, pensando... pensando... muitas vezes, sou atraída por suas meditações, e, em sua companhia, revejo nossos dias escuros e difíceis em minha viuvez iniciante. Uma ansiedade dolorosa me constrange o coração, nesses encontros...
É que desejava fazer-me visível aos seus olhos e acariciar seus cabelos, como em outro tempo. Em vão, procuro dizer a você, que estou viva, que a morte é ilusão. Inutilmente busco um meio de arrancá-la das reflexões tristes, arrebatando-a das sombras intimas, para restituir seu espírito à alegria; mas sou forçada a receber suas perguntas doloridas e esperar...
Filha do meu coração, rogo-lhe se reanime.
Não estamos separadas para sempre.
O túmulo é apenas uma porta que se abre no caminho da vida, da vida que continua sempre vitoriosa.
Quando você puder, interesse-se pelos estudos da alma eterna.
Guarde a sua fé em Deus, como lâmpada acesa para todos os caminhos do mundo.
Tudo na terra é passageiro.
Ainda ontem estávamos juntas, conversando, unidas, quanto aos nossos problemas; e, hoje, tão perto pelo coração, mas tão longe pelos olhos da carne, uma da outra, somos obrigadas a colocar a saudade e a recordação no lugar da presença e da comunhão mais intima, em nossa alma.
Tenha paciência, minha filha, e nunca perca a serenidade.
Estarei com você, em todos os seus passos.
Abraçados às suas orações e às lembranças carinhosas, que me fortalecem para a jornada nova, e rogando a você muita tranquilidade e confiança em Deus, sou a mamãe muito amiga, que vive constantemente com você pelo coração.

-Chico Xavier, pelo espírito Noemia – do livro: Mãe.
Autor: Espírito Noemia

Seguidores